PALAVRA DO PASTOR
  • 20/02/2015
  • Autor Pr. Josue Araujo
  • DIA 20 JEJUM DE DANIEL

     MODELO DE INFLUÊNCIA

    A educação de Daniel na Babilônia-   Daniel1:1-21

    Enquanto Ezequiel passava os dias pregando sermões para os exilados judeus, Daniel foi recrutadopara trabalhar no palácio do rei.

    Na verdade, sua vida no palácio lembra a vida de Jose do Egito, que também ocupou posição importante em governo estrangeiro. Como este capítulo enfatiza, Daniel tem sucesso sem fazer concessões em seus princípios de integridade. Consegue progredir em um ambiente marcado pela ambição e pela intriga, ao mesmo tempo em que se apega a seus nobres ideais judaicos.

    Os babilônios fazem o possível para privar os jovens judeus de sua herança. Obrigando-os a assumirem nomes, pagãos , e os importunam com vinho e alimentos oferecidos a ídolos. Até a grade de estudo para os diplomatas em treinamento é ofensiva para um judeu: inclui feitiçaria, magia e uma religião pagã, de adoração a vários deuses. Daniel e seus três amigos superam esses obstáculos e se sobressaem o suficiente para atrair a atenção do rei, que se vê obrigado a nota-los: os quatro são mais impressionantes do que qualquer outra pessoa no reino.

    Considerados em conjunto, os profetas bíblicos nos fornecem não apenas um mais vário modelo de como uma pessoa pode servir tanto a Deus quanto ao Estado. 

    Daniel mostra que uma pessoa pode se manter pura mesmo trabalhando para um regime tirânico. Durante pelo menos sessenta anos Daniel serve a reis pagãos com grande diligência e desenvoltura. No entanto jamais compromete sua fé, mesmo quando ameaçado de morte.

    A Bíblia não apresenta melhor modelo de como viver entre pessoas que não compartilham nem respeitam nossas crenças.

  • BUSCAR
  •  OK
    Receber em sua caixa de
    e-mail nosso informativo?
    Preencha o campo abaixo para receber:
    ok